Berzoni compra a briga e apoia proposta da CUT e da CTB para regulamentar a terceirização

Na última quarta-feira, quando um grupo de dirigentes da CUT e da CTB estiveram na Câmara para combater um projeto que pretende legitimar a terceirização da mão de obra como instrumento de precarização e ataque aos direitos dos trabalhadores, o deputado Ricardo Berzoini subiu à tribuna para criticar duramente o uso indiscriminado dessa forma de contratação.

O deputado merece nosso apoio por essa iniciativa.

Berzoini (PT-SP), ex- dirigente sindical cutista e ex-ministro do Trabalho e da Previdência, não poupou nem mesmo A Petrobrás, empresa que usa a terceirização em larga escala: ” Vejam bem, quem é que pode ser contra a Petrobrás contratar uma empresa especializada para auxiliar, com sua tecnologia e especialização, na busca da riqueza nacional em petróleo, gás e outros instrumentos? Ninguém pode ser contra, mas, ao mesmo tempo, em função dessa compreensão sobre o papel da Petrobrás e da sua complexidade de organização, nós não podemos deixar de observar que é preciso proteger os trabalhadores brasileiros e os seus direitos, para evitar que esse tipo de contratação resulte em perdas ou em esperteza da empresa que queira reduzir custos com um processo de terceirização mal organizado. Isso vale para várias empresas, de vários setores. Vale para a agricultura, para a construção civil, para o sistema financeiro, para o comércio e para vários ramos da indústria nacional”, disse Berzoini.

Ele defende que a terceirização é aceitável quando aplicada em atividades especializadas das quais a empresa contratante não detém o domínio técnico. Mas, argumenta, é inaceitável que a terceirização seja aplicada na atividade-fim da empresa contratante – este blog cita como ilustração o exemplo de uma empresa aérea que terceirizasse seus pilotos – e que, mesmo nos demais casos, que a terceirização crie a figura do trabalhador de segunda classe, ou seja, que os terceirizados tenham menos direitos que os contratados diretamente pela mesma empresa onde trabalham.

Por isso, a CUT e a CTB cobram que seja barrado o substitutivo do deputado Roberto Santiago (PSD-SP) ao projeto original assinado por Sandro Mabel (PMDB-GO) e cumprido o acordo entre as centrais que, em 2009, enviaram ao governo federal uma proposta de regulamentação da terceirização que verdadeiramente protege os direitos dos trabalhadores e combate a precarização no mercado de trabalho.

Leia o discurso de Berzoini na página pessoal do deputado, clicando aqui.

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

2 Respostas para “Berzoni compra a briga e apoia proposta da CUT e da CTB para regulamentar a terceirização

  1. José Aparecido da Silva

    Tenho sorte de ser um trabalhador e ter sempre escolhido bem meus candidatos. Se todos dessem valor a seu voto, assim também o faria. Parabens ao Berzoini e Parsbéns a nossa CUT.
    Chocolate.

  2. iria royer

    Afinal, Berzoini quer a terceirização, ou não, sou do ponto de vista de que a terceirização é o pior método de instrumentalização de qualquer trabalho, não valoriza, não responsabiliza, este trabalhador não é reconhecido, ainda que por pouquinho que seja, ele não se sente rersponsabilizado por nada, afinal faz suas 8 horas, e quer ver o dinheiro, e penso que está mais do que na hora de demonstrar e provar maior valor ao trabalhador brasileiro, é a maior roubada a chamada terceirização, somente enche o bolso do dono da empresa, ele não faz nada e somente conta os louros, conheço bem este tipo de trabalho, não aconselho em nenhum caso, somente em última instância e vai lá.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s