Terrorismo do noticiário que sugeria pressa para as pessoas se aposentarem é desmentido pelos fatos

Leiam a seguir o post encaminhado pelo companheiro e amigo deste blog Jesus Divino Barbosa. Ele comenta que o aumento da expectativa de vida captada pelo último Censo do IBGE alterou muito pouco o fator previdenciário e que, por isso, a imprensa não tinha razão nas matérias alarmistas que sugeriam às pessoas que se apressassem a pedir aposentadoria.

Leia:

“E o mundo não acabou

Mais uma vez as previsões pessimistas e desastrosas a respeito das alterações na expectativa de sobrevida e, consequentemente, a sua influência sobre o fator previdenciário não se confirmaram, ou seja, elas foram dentro do esperado.

A maioria das alterações foi de apenas 0,1 anos, o que representa uma alteração de aproximadamente 36 dias, que dividido por dois dá menos de um mês, pois para cada dia trabalhado também aumenta um dia na idade, que também é considerado neste cálculo. Poucos foram os casos em que esta alteração ficou em 0,2 anos, ou inalterada.

E ainda tem aqueles casos em que as pessoas estão fazendo aniversário por estes dias e que o aumento do fator por conta disto será muito maior que esta redução por conta da nova tabela de expectativa de sobrevida divulgada ontem pelo IBGE.

Quanto aos prejuízos em dinheiro neste momento, para aqueles que efetivamente tiveram, será de no máximo R$ 20,00, em raríssimos casos, e apenas para aqueles que se aposentarem agora.

Enquanto aqueles que estão aniversariando neste mês o aumento na aposentadoria podem chegar a R$ 100,00. Com uma observação, estes ganhos e perdas são para pessoas que contribuiu pelo teto desde 07/1994, mas para quem tem média menor estas variações serão proporcionais.

Portanto, aquilo que as trombetas anunciaram não aconteceu, e o Armagedom teve que ser prorrogado, mais uma vez.”

Jesus Divino Barbosa de Souza

Leia mais sobre o tema clicando aqui.

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

2 Respostas para “Terrorismo do noticiário que sugeria pressa para as pessoas se aposentarem é desmentido pelos fatos

  1. Veja, abaixo, um caso concreto de um segurado do INSS, e leitor do “Blog do Jesus”, que se livrou de um prejuízo de aproximadamente R$ 1.000,00.

    Jesus,

    No inicio de dezembro/2011 completo 35 anos de contribuição.

    Sempre contribui pelo teto, nestes 35 anos. Farei 64 anos em 18/12/2011.

    Não tenho condições para esperar completar os 65 anos.

    Minhas dúvida é a seguinte: Qual a melhor data para eu dar entrada na minha aposentadoria?

    Ainda, em dezembro, depois do meu aniversário ou seria mais conveniente aguardar o inicio de janeiro/2012?

    Qual seria o valor, aproximado, de minha aposentadoria, nestes casos?

    Desde já agradecido, despeço-me, Atenciosamente,

    Leitor* (do “Blog do Jesus”)

    RESPOSTA:

    Presado leitor*,

    Se você tivesse acreditado nos alarmistas da grande mídia tivesse se aposentado em novembro, antes da alteração do fator, a sua aposentadoria seria de R$ 2.550,00.

    Mas como você manteve a calma a sua aposentadoria, depois de completar os 35 anos de contribuição e 64 anos de idade, será de aproximadamente R$ 3.520,00.

    Eu não errei as contas, é isso mesmo, a diferença é de aproximadamente R$ 1.000,00.

    Se você está contribuindo facultativamente poderá pagar pelo mínimo até se aposentar com o teto. Que será daqui a aproximadamente 1,8 anos. Você deixará de receber aproximadamente R$ 76,500,00, mas a sua aposentadoria será acrescida de aproximadamente R$ 400,00 para o resto da vida, sua e/ou da sua companheira.

    E se a sua mulher tiver 60 anos de idade, nenhuma instituição financeira lhe vende por menos de R$ 150,000,00, uma aposentadoria vitalícia de R$ 400,00.

    Só lembrando, o fator não lhe trouxe nenhum prejuízo.

    Jesus Divino Barbosa de Souza
    http://twitter.com/JesusDivino
    http://jesusprev.zip.net

    * Não tenho autorização para publicar o nome do leitor.

  2. José Osivan Barbosa de Lima

    Eu sou a favor de um reajuste salarial maior para quem ganha o salário mínimo seja aposentado ou não, porque as desigualdades salariais no Brasil são gritantes e isso é uma história secular. Continuo pensando assim “para os desiguais tratamento desigual”, ou seja, para quem ganha pouco reajuste salarial maior. Só assim combateremos as injustiças salariais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s