Presidente do TST diz à Folha que PMs da BA fizeram motim, não greve. Mas a Folha insiste que ele disse “greve”

Em entrevista publicada hoje na Folha, João Oreste Dalazen, o progressista presidente do TST, afirma com todas as letras, que o movimento dos policiais baianos não é greve, mas motim. Em outro trecho, diz que problemas semelhantes, com paralisações de categorias portando armas, são objeto de “uma certa leniência de nossas autoridades”.

Pois a Folha colocou na linha fina da matéria (aquela chamada logo abaixo do título) que Dalazen criticara a “‘leniência das autoridades’ com grevistas“.

Assim, fica a impressão ao leitor incauto que o presidente do TST defende que o poder público endureça com grevistas em geral. Em tempo: Dalazen defende a entrada em vigor da convenção 151 da OIT, aquela que determina aos governos das três esferas manter diálogo e negociação permanente com seus servidores.

151 neles!

p.s.:  a CUT acredita que toda e qualquer categoria tem direito a greve. Mas de arma na mão e provocando caos urbano à custa de equipamento de fogo, não.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s