Com intermediação da CUT, policiais militares e governo de AL fecham negociação e greve é descartada

Deu no Alagoas25horas.com.br.

Leia:

“Representantes de associações militares, Central Única dos Trabalhadores (CUT) e membros do Governo do Estado passaram boa parte da manhã desta quarta-feira, 15, reunidos para discutir as propostas de melhoria salarial da categoria. Somente nesta tarde, após muito impasse, militares e Governo chegaram a um consenso.

O Governo propõe o pagamento de 7% de resíduo dividido em três parcelas: de 2% pagas em abril e 2% em novembro de 2012, e 3% pagos no próximo ano. Além disso, o pagamento do IPCA mais ganho real, de acordo com o que for proposto pelo Governo com o percentual de 6,5%, que será pago em abril.

O realinhamento da tabela de progressão salarial também foi debatida na reunião e a sugestão do Governo é implantar um piso salarial de R$2.156.

Para isso, seria extinguida a patente de soldado 3ª classe, com vencimentos de R$ 1.847. O policial no curso de formação ingressaria na PM como soldado 2ª classe ganhando o valor de R$ 2.156.

No caso da progressão da tabela das demais patentes, o Governo propõe conversar com cada associação separadamente. A primeira reunião será realizada no dia 29 de fevereiro com os cabos e soldados. No dia 5 de março, haverá reunião com os subtenentes e sargentos e no dia 15 de março, será a vez dos oficiais. Os encontros estão marcados às 15 horas, na Secretaria de Estado da Gestão Pública.

Proposta Rejeitada

Na primeira proposta apresentada foi o realinhamento da tabela com a implantação do piso salarial. Além disso, foi proposto pelo Governo a diluição dos 7% de resíduo em seis parcelas até 2014, sendo 1% em abril e 1% em novembro deste ano, a mesma porcentagem para o ano de 2013 e 1,5% para abril e 1,5% para novembro de 2014.

Com relação ao IPCA, será concedido a todos os servidores o percentual de 6,5% mais ganho real de acordo com o que for proposto pelo Governo.

Para os líderes militares, a primeira proposta apresentada era injusta. O presidente da Associação dos Subtenentes e Sargentos (ASSMAL), sargento PM Teobaldo de Almeida, justificou que a categoria não iria aceitar tal proposta porque não atendia aos anseios dos praças. “A intenção do Governo é conceder o valor de R$ 120,00 aos soldados, divididos em três parcelas de R$ 40,00 por ano. Isso tem um aspecto desmotivador e não valoriza a classe”, informou Almeida.

O discurso foi acompanhado pelo presidente da Associação de Cabos e Soldados em Alagoas (ACS/AL), cabo PM José Soares, que classificou a proposta inicial como ‘indecente’. “Queremos que toda tropa seja beneficiada, pois nosso intuito é de lutar pelos direitos dos militares”, completou Soares.

A proposta foi votada durante a assembleia geral realizada nesta tarde na sede da ASSOMAL, no Trapiche. Na ocasião, os militares decidiram aceitar a proposta do Governo de Alagoas e com isso, a segurança no carnaval será mantida.”

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s