A jornada de trabalho de todos os brasileiros deveria ser de 12 horas semanais, sem nenhum direito a menos

A propósito dessa proposta que está sendo gestada no interior do governo federal, a de abrir a possibilidade de “empregos parciais” terem carteira assinada, lembrei de um argumento do professor Marcio Pochmann que tem efeito demolidor sobre a má ideia do governo.

Pochmann, de posse de diversos dados e à luz das novas tecnologias, diz que o Brasil está pronto para uma jornada de 12 horas semanais – três dias, quatro horas por dia – sem nenhum prejuízo para as empresas e sem a necessidade de cortar salários etc, ao contrário do que pressupõe esse projeto do governo.

Ou seja, o mercado de trabalho abre, segundo o professor, a possibilidade de acolher a todos e ainda criar uma nova realidade, semelhante àquela imaginada por Marx e Engels (“fazer hoje uma coisa, amanhã outra, caçar de manhã, pescar à tarde, pastorear à noite, fazer crítica depois da refeição, e tudo isto a meu bel-prazer, sem por isso me tornar exclusivamente caçador, pescador ou crítico”).

A proposta do governo, se levada adiante, facilitaria ainda mais para que os empregadores manipulem o chamado exército de reserva, inclusive aumentando suas fileiras ao transformar o maior número possível de vagas de trabalho em “emprego parcial” ou temporário. E tudo isso com a vantagem de se eximir de culpa, através do truque barato, contido na proposta, de “dar carteira assinada para quem não tem”.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s