Teixeira e o mundo paralelo do Jornal Nacional

Alguém não habituado ficaria escandalizado. Ontem, Jornal Nacional e Jornal da Record repercutiram no mesmo momento a renúncia de Ricardo Teixeira na CBF.

Com o controle remoto na mão, quem ficasse transitando entre os dois canais perceberia Tino Marcos, de um lado, apontando as realizações de Teixeira como dirigente: quantos títulos a Seleção ganhou, a mudança para pontos corridos no Brasileirão, bla, bla, bla.

Do outro lado, Luiz Carlos Azenha remomorando, com detalhes, as várias denúncias (graves) de corrupção que pesam contra o ex-presidente da CBF.

Voltando à Globo, outro trecho da “reportagem” mostrava o novo presidente da entidade garantindo que nada vai mudar, tudo estará pronto para a Copa, ou seja, anunciantes, fiquem tranquilos, o investimento de vocês será remunerado convenientemente.

Porém, na Globo, é importante dizer, o Globo Esporte e seu Tiago Leifert, na hora do almoço, destacaram as acusações que pesam contra Teixeira, ainda que rapidamente, porque, ficou evidente, a direção entendeu não caber àquele programa e àquele jornalista fazer o detalhamento da notícia – não sabemos se por falta de tempo no meio da grade. Talvez não, pois havia um link ao vivo diante da CBF, mas o profissional que lá estava limitou-se a repetir que Ricardo Teixeira havia renunciado (o que todo mundo já sabia)

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s